terça-feira, 30 de março de 2021

Ozonioterapia no Tratamento da Discopatia Lombar - Relato de Caso



A discopatia lombar é uma das principais causas de dor e incapacidade na população economicamente ativa; deteriorando a qualidade de vida de quem a sofre.

Apresentação do caso: Paciente do sexo masculino, 26 anos, nacionalidade salvadorenha, com história de dor lombar há 11 meses. No momento da consulta, apresentava história de duas internações hospitalares e múltiplas consultas com neurocirurgião e fisiatra. O paciente foi tratado com ozônio na concentração de 20 mcg e volume de 10 ml para cada infiltração. Foram administradas 12 sessões de ozônio paravertebral (as primeiras 5 sessões em dias contínuos, depois em dias alternados) e 12 sessões peridurais (uma a cada 5 dias). A evolução foi acompanhada por meio da escala de dor VAS e pela avaliação clínica. Os resultados foram a recuperação progressiva e total do dano motor e sensorial da raiz L5. Na sexta sessão o paciente estava sem sintomas (dor e parestesia). Com o início precoce da prática de exercícios físicos, a parte motora afetada se recuperou, sem sequelas à deambulação.

González Benavides, Carlos. (2015). Manejo de la hernia discal lumbar con ozonoterapia paravertebral y epidural: reporte de un caso. Revista Española de Ozonoterapia. Vol. 5, nº 1, pp. 33-38.

Para saber mais sobre o tratamento entre em contato pelo what's up 51 98181-8384




 www.fisiobeautypilates.com.br

Relato de Caso - Tratamento de entorse de joelho com grave derrame articular Fisioterapia convencional aliada à ozonioterapia



Relato de Caso - Tratamento de entorse de joelho com grave derrame articular 
Fisioterapia convencional aliada à ozonioterapia

Dor, inchaço, vermelhidão e aumento da temperatura do joelho são alguns dos sintomas mais comuns do derrame articular. Esse tipo de lesão pode ter várias causas e exige cuidados, entre eles a fisioterapia.

Os derrames articulares ocorrem quando há sangramento dentro da articulação, que é uma cavidade, e o sangue fica acumulado nessa região (hemartrose); ou quando há aumento do próprio líquido sinovial, produzido dentro da articulação, acima do normal devido a uma inflamação (hidrartrose), o que é popularmente conhecido como água no joelho.

Entre as principais causas desses acúmulos de líquido no joelho — sejam eles sangue, líquido sinovial ou pus — estão:

Traumatismos após torções ou pancadas.
Presença de doenças reumáticas, como artroses, artrites e gota; e de distúrbios que interferem na coagulação sanguínea, como a hemofilia.

A paciente do sexo feminino foi encaminhada pelo médico para realizar 20 sessões de fisioterapia.

Apresentando grave derrame articular com edema significativo, dificuldade para caminhar e apoiar o pé no chão.

Foram realizadas 10 sessões de fisioterapia com aplicação de US, eletroacupuntura e ozonioterapia via aplicação local concentração de 20mcg 1 ml por ponto com massagem ao final da aplicação. Foram aplicados 10 ml no total por sessão. Sessões 3x por semana.

A paciente foi orientada a realizar gelo em casa, por no mínimo 30 minutos, várias x ao dia. E usar contenção com joelheira durante o sono.

Na quinta sessão o edema articular da paciente já havia diminuido em 70%.
Paciente refere significativa diminuição da dor e melhora da mobilidade do joelho e no apoio da perna.

Entre em contato pelo what's up 51 98181-8384 e agende o seu horário!





 www.fisiobeautypilates.com.br

Ozonioterapia no Tratamento da Paralisia Facial - Relato de 5 casos



Ozonioterapia no Tratamento da Paralisia Facial - Relato de 5 Casos

A paralisia facial é um problema clínico comum. A maioria dos casos está incluída no tipo Bell ou idiopática. Geralmente é uma patologia benigna, embora sua recuperação seja variável e, às vezes, haja o risco de deixar sequelas. O tratamento combina métodos físicos e farmacológicos e, às vezes, cirurgia de reabilitação e retreinamento neuromuscular. A ozonioterapia é um tratamento que não causa efeitos colaterais, alergias, interação com outras drogas, é de fácil aplicação e baixo custo, o que a torna uma excelente terapia. 

Objetivo: Apresentar os resultados de 5 casos clínicos de paralisia de Bell, tratados com ozonioterapia de forma complementar à reabilitação. Material e métodos: 5 pacientes foram tratados por infiltrações locais de ozônio de 10 a 20 µgr / mL, uma vez a cada 7 dias um mínimo de 4 doses e um máximo de acordo com a melhora clínica. 

Resultados: Observou-se melhora significativa e cicatrização em um período de tempo entre 4 e 5 semanas.

Conclusão: O tratamento por ozonioterapia local na paralisia de Bell constitui uma ferramenta de tratamento eficaz e também com mais rápida resolução.

Ros Nicolás, María José et al.(2020). Tratamiento de la parásis facial mediante ozonoterapia. Experiencia en
5 pacientes Ozone Therapy Global Journal Vol. 10, nº 1, pp 149-170

Entre em contato pelo what's up 51 98181-8384 e agende o seu horário!




 www.fisiobeautypilates.com.br

Epicondilite - cotovelo de Tenista artigo de Revisão aponta ozonioterapia com alternativa mais eficaz de tratamento!



Epicondilite. Revisão sistemática. 

A ozonioterapia dentro das alternativas terapêuticas

Epicondilite, ou cotovelo de tenista, é uma tendinopatia crônica dos tendões do dorso do antebraço em sua inserção proximal. Histopatologicamente, apresenta desorganização das fibras de colágeno, fibroblastos imaturos, elementos vasculares anormais e tecido de granulação atípico, embora quase sem células inflamatórias. A epicondilite é a doença mais comum do cotovelo, com prevalência de 1-3% na população geral, ocorrendo tanto em homens quanto em mulheres. Ocorre com maior frequência em trabalhadores manuais ou devido a pratica esportiva. Predominando na faixa etária (35-50 anos).

 Associado com atividades expostas à movimentação manual, tensões, vibrações, uso de ferramentas ou movimentação de cargas. A duração do quadro é longa; em média 6 a 9 meses. O diagnóstico é clínico, confirmatório com ultrassonografia e ressonância magnética. Diferentes estratégias terapêuticas têm sido preconizadas: repouso, tratamentos conservadores com anti-inflamatórios não esteroidais orais, fisioterapia, terapia manual, ondas de choque, bandagem neuromuscular, além de elementos de eletroterapia: ultrassom ou laserterapia. 

Existem técnicas mais invasivas, como a infiltração com toxina botulínica, com ácido hialurônico, com plasma rico em plaquetas ou com corticosteroides. A cirurgia seria reservada para casos refratários. Esses tratamentos nem sempre alcançam o resultado desejado, não são isentos de efeitos colaterais e nem sempre previnem as recorrências. Diante dessa perspectiva, consideramos as evidências clínicas que sustentam a infiltração da epicondilite com mistura de oxigênio medicinal e ozônio como uma alternativa útil e com poucos ou nenhum efeito colateral no tratamento dessa patologia. 

Medina-Alonso, Miguel A..(2020). Epicondilitis. Revisión sistemática. La ozonoterapia dentro de las alternativas terapéuticas. Ozone Therapy Global Journal Vol. 10, nº 1, pp 241-256

O artigo de revisão sistemática confirma nossa experiência clinica. A aplicação de ozonioterapia em casos de epicondilite - cotovelo de tenista tem se mostrado muito eficaz com melhora de 80% à 100% em relação a dor e melhora da função.
Em casos onde o paciente já havia realizado o tratamento conservador com pouca ou nenhuma melhora.

Para saber mais sobre o tratamento ou agendar o seu horário entre em contato pelo what's up 51 98181-8384