quinta-feira, 16 de novembro de 2017

COMO ALCANÇAR BONS RESULTADOS NO PILATES NO PRAZO CERTO?



Quando uma pessoa passa a praticar o Método criado por Joseph Pilates, sempre questiona o seu instrutor sobre quando os resultados no Pilates irão começar a aparecer.

Isso acontece pois, muito se fala sobre os diversos benefícios que a prática do Pilates podem garantir. Além disso, o Imediatismo é a palavra da vez para a maioria dos iniciantes do Pilates e para o estilo de vida atual.

Por isso, é muito comum ouvir frases como: ‘’quando vou parar de sentir dores? ’’, ‘’vou emagrecer com Pilates? ’’, ‘’quando vou poder fazer exercícios avançados? ’’.

Essas são apenas algumas das frases típicas da maioria dos Pilateiros iniciantes, que demonstram a ansiedade em conquistar um novo corpo e evoluir dentro do Método o mais rápido possível.

Porém, é importante lembrar que nada se conquista da noite para o dia, ou seja, ninguém emagrece de forma saudável em dois dias, não define o corpo e nem aprende a controlar o corpo em tão pouco tempo.

O trabalho da Contrologia é difícil, e é necessário paciência e perseverança para alcançar os resultados no Pilates, que são muitos.

Desta forma, você irá entender agora como conquistar os resultados no Pilates no prazo certo e quais são os motivos que interferem nessa conquista.

Conhecendo mais sobre o Método Pilates

Como já sabemos, o Método foi criado por Joseph Pilates, onde através de seu conhecimento, ele criou uma variedade de exercícios que utilizam a própria força do corpo para serem realizado, baseando-se na sua experiência prática com exercícios e estudos realizados de forma independente.

Todos esses exercícios possuem uma série de variações que procuram estabelecer uma pressão de complexidade e intensidade.

O repertório do método auxilia no ganho de flexibilidade, força e outros tantos benefícios que o Pilates oferece para saúde, como redução de dores lombares e melhora na qualidade de vida em geral.

Todo o Método está baseado em seis princípios que pretendem devolver ao homem uma movimentação mais espontânea e consciente sendo eles: centralização (powerhouse), a concentração, o controle, a fluidez de movimento, a precisão e a respiração.

Centralização: também pode ser conhecido como “Power House”, casa de força ou simplesmente centro. É um conjunto de músculos que são responsáveis pela sustentação da coluna e dos órgãos internos além de serem motores primários e secundários da flexão, rotação e extensão da coluna e flexão e extensão do quadril.

É um conjunto de músculos que são responsáveis pela sustentação da coluna e dos órgãos internos.

Quando você realiza o fortalecimento desta musculatura, você proporciona a estabilização do complexo coluna-pelve e um alinhamento biomecânico que pode proporcionar um menor gasto energético pela diminuição de co-contrações que antes eram necessárias para proporcionar a estabilidade que músculos fracos falham em gerar.

Os músculos que ganham esta fortificação são: as quatro camadas do abdômen (reto abdominal, oblíquo externo, oblíquo interno e transverso do abdômen), assoalho pélvico, eretores profundos da coluna, flexores e extensores do quadril.

Além dos movimentos em si, a prática da respiração ajuda muito no fortalecimento desta musculatura uma vez que os oblíquos e o transverso abdominal tem papel acessório na respiração.

Concentração: conforme dito pelo criador do Pilates, Joseph Pilates, É a mente que guia o corpo, por isso, é importante dar atenção e importância de todas as partes do corpo para que o movimento seja realizado com a maior eficiência possível.

Desta forma, quando você utiliza a concentração, sua mente transforma um pensamento em movimento, realizando os movimentos do Método de forma eficaz para o corpo. Além disso, atualmente se sabe que exercícios que envolvam uma maior demanda cognitiva, aqueles que temos que pensar no que estamos fazendo, apresentam potencial de gerar maior ativação muscular.

Controle: este princípio é uma melhor execução para obter o movimento desejado pois, a partir do momento em que você possui controle, seu corpo garante um padrão suave e harmônico de movimento, realizando a tarefa com especificidade.

Além disso, o aprendizado motor dos movimentos (controle), também faz parte dos objetivos e benefícios do Pilates e está diretamente relacionado com o princípio da Concentração.

Fluidez: este princípio é responsável por ajudar na leveza dos movimentos, permitindo a utilização apenas da energia necessária para o movimento, sem desperdício.

Os movimentos não têm início, meio ou fim. Desta forma, o organismo aproveita a fase concêntrica e excêntrica dos exercícios, resultando num treino equilibrado e funcional e protegendo os tecidos de possíveis desgastes prematuros.

Precisão: este princípio diz respeito ao refinamento do controle e equilíbrio dos diferentes músculos envolvidos num movimento, sem gasto desnecessário de energia a partir de contrações inadequadas, sejam elas exageradas ou deficientes.

Respiração: a respiração deve ser sempre coordenada com o movimento para que os movimentos possam trazer todos os benefícios proposto pelo Método.

Quando você trabalha a respiração no Método Pilates, a expiração deve ser forçada e a inspiração deve ser o mais natural possível.

Esse mecanismo utiliza a musculatura profunda do abdômen (oblíquos e transverso do abdômen), além do assoalho pélvico e eretores profundos da coluna (principalmente os multífidos).

A ativação desta musculatura promove uma melhor estabilização da região lombo-pélvica durante o exercício.

Além disso, existem evidências que apontam que o uso do princípio da respiração, seja em exercícios de Pilates ou em exercícios convencionais, tem a capacidade de aumentar a ativação da musculatura envolvida, por diminuir os movimentos compensatórios, resultado que uma maior estabilização da coluna devido a forma que se executa a respiração

A inspiração deve ser enfatizada lateralmente e posteriormente, ou seja, tridimensional, o que otimiza as trocas gasosas, melhorando a oxigenação dos tecidos e a capacidade pulmonar.

Além disso, a respiração adequada favorece a organização do tronco, a sustentação lombo-pélvica e o relaxamento da musculatura inspiratória acessória dos ombros e do pescoço.

Sendo assim, podemos dizer que o Pilates é um Método composto por movimentos que trazem diversos benefícios para o ser humano, independentemente da fase de vida em que ela está passando.

Os benefícios do Pilates

Quando você pratica Pilates, seu corpo garante diversos benefícios como:

  • Fortificação do corpo;
  • Flexibilidade;
  • Relaxamento tanto do corpo quanto da mente;
  • Reabilitação de diversas patologias;
  • Melhora do condicionamento físico;
  • Tonificação muscular;
  • Melhora da qualidade do sono;
  • Aumento da coordenação motora;
  • Melhora da consciência corporal;
  • Mantêm a boa forma;
  • Alongamento de todo o corpo;
  • Aumento do equilíbrio;
  • Melhora da postura;
  • Eliminação das toxinas do corpo;
  • Ajuda no complemento de outros treinos;
  • Melhora da circulação sanguínea;
  • Redução do estresse, ansiedade e outros possíveis problemas emocionais;
  • Aumento da autoestima;
  • Aumento do bem-estar.

Em quanto tempo os resultados do Pilates começam a aparecer

Quando uma pessoa busca os resultados do Pilates, ela deve levar em conta que nenhum Pilateiro é igual ao outro.

Sendo assim, sempre haverá controversas sobre quando os resultados do Pilates irão começar a surgir. O Método Pilates possui diversas vantagens, pois pode ser praticado por qualquer pessoa com sessões duas à três vezes por semana.

Porém, não são todos que possuem tanta disponibilidade de tempo para realizar os exercícios, desta forma, o Pilates também pode ser praticado uma vez por semana ou ser complementado por alguma outra atividade física.

Para aqueles que praticam o Método regularmente, os resultados começarão a aparecer com cerca de um mês e meio, porém, eles ainda não serão resultados estéticos e sim para a saúde.

Os primeiros resultados que podemos observar, logo nas primeiras sessões são a melhora na flexibilidade, melhora na postura e redução de circunferência abdominal.

A flexibilidade é uma valência que apresenta adaptação rápida, visto que grande parte dos exercícios iniciantes são voltados para alongamento de cadeia posterior.

Essa característica existe devida a necessidade de flexibilidade para a evolução na complexidade dos exercícios. A progressão no método é dependente de uma melhor amplitude de movimento articular.

A melhora da postura é consequência da melhora da flexibilidade juntamente com um fortalecimento de transverso abdominal e ganho de consciência corporal através dos princípios do Método.

Em relação a redução da circunferência abdominal, grande parte dos praticantes chegam no Studio com fraqueza do músculo transverso abdominal.

Esse músculo é responsável pela sustentação das vísceras e estabilização da coluna pelo aumento da pressão interna abdominal.

Dessa forma, logo nas primeiras aulas, ao fortalecer esse musculo, ele gera uma maior compressão e sustentação visceral, reduzindo a circunferência abdominal por uma melhor organização interna.

Ou seja, esse músculo funciona como uma cinta, ele responde rapidamente aos primeiros estímulos “apertando” a região abdominal e consequentemente reduzindo a circunferência.

Vale lembrar que os resultados irão funcionar diferente para cada pessoa, pois os exercícios serão realizados conforme os objetivos do praticante, beneficiando-se então de forma diferente em cada corpo.

O que pode dificultar os resultados do Pilates?

Existem alguns fatores que podem influenciar na demora para se conquistar os resultados no Pilates.

Dentre esses fatores, podemos citar alguns aspectos como má alimentação, poucas horas de sono, desidratação, excesso de atividades físicas e uso de medicamentos.

Em cada caso, são criadas barreiras que acabam impedindo o ser humano de conquistar os benefícios do Método, gerando então algumas dificuldades.

Falta de conhecimento do Método

Não saber como funciona o Método, acaba gerando uma barreira para que o indivíduo possa conquistar seus resultados no Pilates.

Existem pessoas que acreditam que da noite para o dia já podem tornar-se praticantes avançados e garantir todos os benefícios que o Método proporciona, porém, na realidade, isso é bem diferente.

É necessário que exista uma progressão lenta, de acordo com os ganhos de cada um, garantindo segurança e uma coluna saudável.

A falta de conhecimento faz com que o praticante crie expectativas erradas e quando elas não são conquistadas do jeito que elas acham, as mesmas acabam desistindo do Método sem nem mesmo conhecer a sua verdadeira essência.

Procure explicar para seu aluno como será o desenvolvimento da aula e do treinamento.

Dificuldade para mudar os hábitos

Não é nada fácil mudar os hábitos e manter-se neles, até porque a vida “não saudável” está presente na maioria das pessoas ao redor.

Melhorar de vida e possuir uma rotina mais saudável exige muita disciplina e força de vontade, porém, quando essa mudança se torna rotina na vida do ser humano, ela pode garantir muitos benefícios.

Uma pessoa que quer conquistar seus objetivos no Pilates por exemplo, precisa ter disciplina para frequentar todas as aulas do Método, além disso, é necessário também basear-se em uma boa alimentação e até mesmo outras atividades físicas dependendo do resultado que se espera alcançar.

Desta forma, mudar de hábito ajuda muito no momento de conquistar os resultados do Pilates, sendo assim, é muito importante aplica-lo na rotina.

Não realizar os exercícios corretamente

Realizar os exercícios de forma errada é um dos maiores dificultadores no momento em que o Pilateiro tenta alcançar os resultados do Pilates.

Isso ocorre quando uma pessoa não trabalha o corpo como deveria, prejudicando a conquista dos benefícios e até podendo causar alguma lesão por conta disso.

Sendo assim, é muito importante estar atento ao que se pede durante as aulas de Pilates, para que os exercícios sejam realizados de forma correta e assim, o indivíduo consiga conquistar os resultados do Método no prazo correto.

A importância de um bom instrutor de Pilates

O instrutor de Pilates é o responsável por ajudar no momento de realizar os exercícios, além de ser o responsável também por indicar o melhor movimento para o objetivo do praticante, oferecendo melhor estabilidade corporal.

Sendo assim, um bom instrutor de Pilates irá colaborar diretamente na conquista de bons resultados.

Seu professor precisa saber como criar um programa de treinamento eficiente, ter conhecimento sobre como lidar com lesões e principalmente ser dedicado à uma avaliação física completa.

Procure conhecer seu professor, pergunte sobre sua formação, experiência no método e na profissão.

Por isso é importante que se busque um bom profissional, para que ele possa ajudar em todas as situações do Pilates, ajudando diretamente para se conquistar um bom resultado no prazo certo.

Conclusão

Os resultados do Pilates não são algo que se conquista da noite para o dia, por isso, é importante que haja muita disciplina e força de vontade por parte do praticante.

Ter bons hábitos alimentares e contar com a ajudar de um bom instrutor de Pilates ajuda (e muito) nessa conquista de bons resultados no prazo certo.

Desta forma, lembre-se de estar sempre atento ao Método e de realizar os exercícios de forma correta para que seus objetivos sejam conquistados da forma que se espera.

Mas lembre-se: nenhuma pessoa é igual à outra, por isso leve em conta apenas os resultados do seu próprio corpo, respeitando o seu próprio limite.

Agende uma aula experimental pelo what's up 51 981818384

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Atendimentos à domicilio - Entre em contato para obter valores




Oferecemos atendimentos domiciliares:


  • Drenagem Linfática
  • Fisioterapia
  • Massagem Terapêutica
  • Drenagem Linfática Pós-Operatória de Lipoaspiração e Abdominoplastia
  • Atendimento inclusive aos finais de semana e feriados!!

Entre em contato pelo what's up 51 981818384


www.fisiobeautypilates.com.br

Quiropraxia: O que é? Quais os benefícios? Como funciona a sessão?




O método da quiropraxia pode ser aplicado em qualquer pessoa, desde recém-nascidos, até aqueles em idade avançada. Os quiropraxistas, profissionais aptos a aplicar estas técnicas manuais, cuidam de todo o sistema neuro-esquelético. No entanto, os principais problemas tratados pela quiropraxia referem-se as dores lombares, hérnias de disco, dores ciáticas, tensão muscular, restrições a movimentos, dores de cabeça e no pescoço, dores e problemas nas principais articulações dos ombros, tornozelos, cotovelos, joelhos, punhos que podem surgir de repente causados pela sistemática repetição de movimentos contínuos ou por meio de posturas erradas.

Um dos diferenciais da quiropraxia é provocar no paciente o autoconhecimento do próprio corpo e inserir hábitos de bem-estar e de qualidade de vida para que, futuramente, o paciente não mais volte a sofrer dos males antigos. Por exemplo, o paciente possui hábitos de má postura corporal ou de não praticar nenhum exercício físico laboral durante o dia a dia. 

As principais posturas consideradas inadequadas são:

– sentar de forma torta com a coluna inclinada;

– digitar consistentemente e não alongar as mãos;

– permanecer muito tempo sentado ou em pé;

– não ter o hábito de alongar-se.

A partir das práticas de quiropraxia, o paciente vai começa a inserir novos e bons hábito em sua rotina diária e por consequência terá mais qualidade de vida. Portanto, o método não serve apenas para aqueles que já estão doentes ou sofrendo com dores intermináveis, mas também para aqueles que desejam garantir boa saúde do corpo, como maneira preventiva.

Como surgiu a quiropraxia

A quiropraxia ou cura por meio de técnicas manuais foi descoberta e iniciada pelo médico norte-americano Daniel David Palmer, em 1895, nos Estados Unidos. No Brasil, a técnica somente começou a ser difundida a partir de 1992, por meio da criação da Associação Brasileira de Quiropraxia. Estima-se que existam, atualmente, cerca de 90 mil profissionais desta área em todo o mundo.

Para conseguir diagnosticar uma doença e prescrever o tratamento exato, um profissional desta área tem a necessidade de formação superior, e o curso varia de faculdade para faculdade, com 4 anos e meio até 6 anos. Entre as disciplinas curriculares estão presentes uma vasta formação em ciências biológicas.

Quais os benefícios da quiropraxia

Os benefícios dependem de que área o paciente vai tratar. Os pacientes que procuram um quiropraxista precisam tratar dores de articulações, hérnias de disco, complicações lombares, dores no pescoço e dores de cabeça. Pessoas que ficam sentadas diariamente e por muito tempo, realizando as mesmas funções, como taxistas, atendentes de telemarketing, entre outras profissões.

O não tratamento dessas dores podem adquirir lesões em tendões e articulações lombares. Portanto é fundamental encontrar a causa destas dores e trata-las faz parte desta prática aplicada pela quiropraxia. O diagnóstico começa por analisar a postura (hábitos, maneira de sentar, etc) do paciente, passa por testes ortopédicos e também neurológicos, e pelo contato (toque) nas áreas afetadas e doloridas. Exames laboratoriais, tais como tomografias, ressonância magnética ou raio-x também podem ser necessários para fechar um diagnóstico acerca da causa das dores e de como a quiropraxia deverá ser aplicada.

Como funciona a sessão de quiropraxia

As sessões ajustam a musculatura e restauram a movimentação correta dos músculos. Quando realizada adequadamente, por um profissional capacitado, a técnica é indolor e sem contraindicações e consegue trazer alívio e conforto ao paciente. Porém, em pacientes com doenças em estágio avançado, hérnias de disco problemáticas, a aplicação da quiropraxia pode causar certo desconforto, certo incômodo.

Um pouco de cansaço e sensação muscular de rigidez, logo após as sessões de quiropraxia, são normais e não representam problema algum. Além de tratar problemas com a coluna vertebral e os nervos que fazem conexão com ela, os pacientes que buscam a quiropraxia também tratam de distúrbios relacionados a irritabilidade, stress, tensão diária, entre outros.

Para determinar a quantidade de sessões que o paciente necessita, o quiropraxista avalia todo o quadro clínico, inclusive de que forma ele vai reagir com as primeiras sessões. 

Agende uma sessão pelo what's up 51 981818384

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

MAGIC CIRCLE




O Método Pilates é conhecido por conter uma grande variedade de exercícios que podem ser praticados em solo, em equipamento e com a ajuda de acessórios como é o caso do Magic Circle.

Apesar de possuir um nome um pouquinho mais complicado, o Magic Circle pode ser utilizado na realização de diversos exercícios garantindo muitos benefícios para o corpo do indivíduo.

Sendo assim, preparamos essa matéria para que você possa conhecer um pouquinho mais sobre esse incrível acessório e acompanhar também os 8 exercícios para você praticar durante as suas aulas de Pilates (claro, com o auxílio de seu instrutor). Confira a seguir!

O que é o Magic Circle?

O Magic Circle é um acessório do Pilates onde sua estrutura é caracterizada por um anel, que normalmente é feito de metal ou borracha, com aproximadamente treze polegadas de diâmetro, com suportes laterais que são chamados de “pacs” e almofadados.

Este incrível acessório de Pilates foi criado por Joseph Pilates, onde o mesmo inicialmente retirou um anel de metal de um barril para criar o Magic Circle.

Com o passar do tempo, este acessório foi aperfeiçoado e hoje, pode ser encontrado em muitos lugares voltados para atividades físicas como é o caso dos Studios de Pilates.

Além do nome Magic Circle, que o nome mais conhecido, ele também pode ser chamado de várias formas diferentes como Windsor Ring, Fitness Circle, Exercise Ring, Fitness Ring.

O Magic Circle ajuda o praticante a achar o seu centro, que é um dos princípios do Método Pilates.

Sendo assim, quando utilizado de forma correta, o praticante pode se beneficiar de várias formas, melhorando o seu desempenho no Método.

Por ser um acessório leve com uma resistência inferior a outros tipos de pesos livres, o Magic Circle é muito utilizado em exercícios de reabilitação, melhorando e evitando possíveis lesões no Pilateiro, melhorando então a sua resistência física.

Um outro fato interessante do Magic Circle é que o mesmo é um ótimo atuante quando o assunto é estabilização. Isso porque através dos movimentos realizados com o apoio do mesmo, podemos recrutar as musculaturas adutoras e estabilizadoras de membros inferiores e superiores.

Sendo assim, podemos então dizer que este acessório é muito importante e beneficiador no momento em que o indivíduo realiza os movimentos do Pilates.

Agende uma aula experimental pelo what's up 51 981818384

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Aulas de Pilates



Como são as aulas de Pilates:

As aulas são baseadas em exercícios rítmicos de forca e alongamentos e com bastante trabalho concêntrico e excêntrico de abdômen e músculos lombares executados pelo praticante nunca passivamente. A pessoa controla seus equipamentos executando os exercícios e assim fortalecendo e massageando seu corpo, evoluindo de acordo com sua capacidade individual.

Muitos dos exercícios foram baseados nas técnicas do Iatha Yoga, exercícios gregos e romanos e a respiração profunda (meditação), elimina a tensão e aumenta a histamina. Os especialistas dizem ser a ginástica mais eficiente de todos os tempos. Existem, porém, alguns detalhes durante a execução da aula: numa aula de Pilates, ninguém faz movimentos automáticos e repetitivos, pelo contrário, cada aluno adquire uma perfeita consciência de todos os músculos que está trabalhando. O rigor técnico é o grande segredo. Cada exercício deve ser feito num ângulo específico, por isto os resultados parecem ser tão mais rápidos.

Fazer uma aula sem professor / instrutor certificado é perda de tempo. A garantia da eficiência do método está exatamente na precisão dos movimentos e que só poderá conseguir com a ajuda dele.
Quando se olha alguns exercícios, tem-se a impressão que são simples alongamentos, nada muito puxado, talvez por não ser necessário fazer muitas repetições do mesmo exercício. Mas somente participando da aula é que teremos como avaliar e sentir os músculos exigidos, principalmente do abdômen. Com todo este rigor técnico, os resultados não demoram a aparecer e após em média 30 sessões, você consegue transformar seu corpo de maneira equilibrada, definindo todos os músculos por igual.

As aulas apresentam:

  • Exercícios suaves e eficazes;
  • Poucas repetições de cada movimento;
  • Grande repertório de exercícios;
  • Aulas únicas, evitando monotonia;
  • Uso de aparelhos e acessórios, criados especialmente para os exercícios;
  • Resultados rápidos e duradouros;
  • Construção de uma postura correta e natural;
  • Não há desgaste físico.

Qualquer pessoa entre 12 e 100 anos e em todos os níveis de condicionamento físico pode praticar o pilates. Várias academias e estúdios dispõem dessas aulas. Experimente! Porém tenha cuidado de procurar instrutores certificados. O Pilates é agradável, fácil e traz resultados rápidos.

Fonte: Jornal Bem Estar

Agende uma aula experimental gratuita pelo what's up 51 981818384

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Drenagem Linfática



A drenagem linfática é uma técnica de terapia manual que favorece o retorno do líquido intersticial à corrente sanguínea, muito utilizada em pós-operatórios e tratamentos de estética, podendo ser aplicada em todo o corpo.

Sistema Linfático

É um sistema paralelo ao sistema circulatório, constituído por uma vasta rede de vasos e capilares linfáticos distribuídos por todo o corpo, que levam e também recolhem a linfa que extravasou dos capilares linfáticos, filtrando esse líquido e reconduzindo o mesmo à circulação sanguínea.

Linfa: Líquido que circula pelos vasos linfáticos, com uma composição semelhante à do sangue, embora não possua hemácias.
O sistema linfático é formado por linfa, vasos e capilares linfáticos e órgãos linfáticos.

Drenagem Linfática Manual

A drenagem linfática manual é um tratamento indolor que consiste numa massagem suave, feita com pouquíssima pressão, com manobras suaves, lentas e rítmicas, seguindo o trajeto do sistema linfático superficial.
É um dos recursos mais usados para enviar o líquido intersticial de volta à grande circulação, diminuindo edemas e linfedemas causados por traumas, pós-operatórios, problemas circulatórios venosos e linfáticos, entre outros.

Efeitos da Drenagem Linfática

  • Redução de edemas;
  • Melhora da hidratação e nutrição das células;
  • Acelera a cicatrização de ferimentos;
  • Aumenta a capacidade de absorção de hematomas e equimoses;
  • Melhora o retorno de sensibilidade em cirurgias;
  • Reduz a retenção de líquido nos tecidos, melhorando a aparência da celulite.

Agende uma sessão pelo what's up 51 981818384

IMPACTO FÊMORO-ACETABULAR E O PILATES



O Impacto Fêmoro-Acetabular (IFA) recorrente dá origem à artrose de quadril. Hoje sabemos que as artroses “sem causa aparente” são secundárias a sutis alterações acetabulares e femorais previamente subestimadas ou não reconhecidas.

Hoje vamos falar do impacto misto, aquele onde encontramos pequenas alterações no fêmur e no acetábulo que acontece em mais de 70 % dos casos.

O choque fêmoro-acetabular leva a lesão da cartilagem e do labrum ou lábio acetabular. A lesão da cartilagem é irreversível, portanto o tratamento precoce do impacto fêmoro-acetabular é muito importante.

Os alunos com impacto geralmente tem entre 30 e 50 anos e queixam- se de dor inguinal (raiz da coxa) irradiada para a região de dentro da coxa ou joelho.

Entre os esportes mais envolvidos para o desenvolvimento dos sintomas de impacto, estão:

- Futebol;
- Tênis;
- Squash;
- Rúgbi;
- Hóquei;
- Natação (nado clássico ou de peito);
- Surfe e Wakeboard;
- Ciclismo de estrada;
- Remo;
- Automobilismo (em carros baixos);
- Yoga;

Agende uma aula experimental pelo what's up 51 981818384



sábado, 4 de novembro de 2017

MÉTODO PILATES E MANOBRAS DE LIBERAÇÃO MIOFASCIAL II




O tratamento da dor miofascial é baseado em “técnicas de liberação miofascial”, que compreendem um conjunto de técnicas de terapia manual, influenciadas por princípios osteopáticos – onde a forma afeta a função – e outras técnicas, tendo como essência a visão global do ser humano, assim como no método Pilates.

Essas técnicas têm como base a compressão, microrolamentos, deslizamentos, pinçamentos, fricção, alongamento e mobilização de tecidos moles, tendo como fim a liberação de pontos de gatilho, melhora da extensibilidade, da circulação sanguínea e harmonia da organização das fibras do tecido conjuntivo.

Por consequência, a aplicação das técnicas deliberação miofascial terá ação importante sobre os fusos musculares, o que gera trabalho proprioceptivo respeitável e fundamental, com repercussões positivas na consciência corporal e no bem estar. É nesse ponto que a liberação miofascial se aproxima do método Pilates.

Conforme visto, o método Pilates tem como um de seus objetivos a consciência corporal, obtida através do respeito aos princípios de precisão, concentração e fluidez de movimento. Para que se chegue ao ponto de se obter um movimento fluído, com menor gasto de energia e ausência total de dor, é necessário que haja a integridade anatômica e fisiólogica das estruturas corporais, no caso, os músculos.

Dessa forma, observa-se clinicamente que a integração entre as manobras de liberação miofascial e a prática de Pilates tende a gerar potenciais benefícios àqueles cidadãos que buscam estúdios de Pilates para tratamentos de distúrbios ósteo-mio-articulares. Essa integração é bem compreendida quando se leva em consideração que ambas as técnicas primam por uma mecânica corporal perfeita.

A execução de técnicas de liberação miofascial previamente a sessão de Pilates têm por objetivo a preparação sensório-motora do corpo. Isto é, ao ser submetido aos estímulos táteis e verbais do terapeuta, o sujeito passa a perceber conscientemente aquilo que está sendo realizado no corpo e interpreta os estímulos que lhe trazem algum tipo de conforto, como, por exemplo, o alívio da dor. Logo, sua consciência corporal foi previamente ativada, suas miofáscias comprometidas foram liberadas total ou parcialmente (de acordo com o grau de comprometimento) e, então, o sujeito encontra-se preparado para a sessão de Pilates.

A liberação miofascial dos pontos dolorosos devolve a integridade ao músculo ou grupamento muscular, de forma a potencializar tudo aquilo que pode ser conquistado, dentro das variáveis biomecânicas do desempenho motor: força, potência, resistência, flexibilidade. Portanto, ao iniciar o tratamento com Pilates, o sujeito se encontra com a sensibilidade cinestésica ativada, de forma a perceber e executar os movimentos de Pilates de forma mais harmoniosa, centrada, possivelmente com menor grau de dor e dificuldade, o que lhe proporcionará atingir padrões mais desejáveis de movimento.

Entende-se, então, que os músculos envolvidos poderão ser alongados sem a interferência da dor do ponto de gatilho, favorecendo a melhora da flexibilidade e mobilidade articular. Podem ser também adequadamente submetidos ao trabalho de fortalecimento local e global; por consequência, podem promover o reequilíbrio entre agonistas e antagonistas, através da correção de seus desequilíbrios de força e comprimento e. Por fim, influenciando positivamente na postura.

Conclui-se, consequentemente, que é interessante a associação entre as técnicas de terapia manual utilizadas na fisioterapia, com o intuito de promover a liberação das miofáscias, à filosofia do método Pilates, quando o objetivo e o tratamento de distúrbios músculos-esqueléticos ou para o aprimoramento do condicionamento físico.

Agende uma aula experimental pelo what's up 51 981818384


sexta-feira, 3 de novembro de 2017

MÉTODO PILATES E MANOBRAS DE LIBERAÇÃO MIOFASCIAL



Na prática clínica do instrutor de Pilates, cuja formação de base é a Fisioterapia, não é pouco comum o quadro de desordens neuromusculares entre aqueles que buscam pela prática do método.

Embora popular em muitos países, o método criado por Joseph Pilates ainda se encontra engatinhando, no que se refere a estudos científicos fidedignos, os quais provam e documentam o que de fato pode ser conquistado com a prática regular dos ensinamentos de Joseph Pilates. No entanto, é fato a crescente busca pela prática com algum objetivo relacionado à reabilitação física.

Dentre os mais populares estudos científicos, destacam-se aqueles que avaliaram e quantificaram o efeito do Pilates em relação a parâmetros do desempenho motor, tais como: força muscular, da flexibilidade, do equilíbrio dinâmico e da postura. E, por fim, capacidade funcional em geral. Estes estudos oferecem subsídios científicos para o incentivo ao uso do método como forma de atividade física para o condicionamento físico e para reabilitação clínica de patologias do aparelho locomotor.

Diversas condições que afetam o aparelho motor influenciam diretamente o componente neuromuscular, gerando quadros complexos de dores localizadas e irradiadas para outras regiões. Quadros como os de hérnia discal lombar, por exemplo, provocam sintomas locais e irradiados ao longo de membros inferiores. Como consequência, encontra-se o envolvimento de nervos, músculos e fáscias nesse trajeto. Logo, estima-se que a completa reabilitação desse quadro, consiste no tratamento das estruturas envolvidas, diretas ou indiretamente.

Diante dessa situação, pode-se compreender a importância da escolha certa da técnica para a reabilitação plena. Com base em estudos, entende-se que o método Pilates consiste em uma filosofia baseada no uso da consciência corporal para a realização do movimento de forma harmoniosa, promovendo associação com a respiração, gerando movimentos fluídos, com menor gasto de energia e menor risco de lesões. Com base nos princípios do método, observou-se que é possível aliviar quadros álgicos da coluna vertebral, melhorar desequilíbrios musculares e, por fim, a postura.

No entanto, algumas patologias se desenvolvem com comprometimento miofascial, ocasionando dores locais, pontos de gatilho, irradiação pelo tecido conjuntivo, entre outras, que, de maneira geral, não são tratadas pelo alongamento muscular, mas, sim, pelo tratamento específico do tecido conjuntivo que envolve os músculos, tendões e ligamentos: a fáscia.

A fáscia compreende uma camada de tecido conjuntivo, frouxo ou denso, que envolve estruturas corporais. A fáscia superficial ou frouxa localiza-se na camada interna da pele, onde se encontram vasos e nervos. Já a fáscia profunda, é encontrada delimitando segmentos do corpo, como músculos ou a cavidade abdominal. Em termos patológicos tem suma importância a miofáscia, que designa a fáscia profunda que envolve os músculos.

As miofáscias são tecidos maleáveis e elásticos, com função de proteger, evitar atrito e promover o desempenho muscular. A ausência de dor e perfeita realização do movimento dependem da integridade do tecido conjuntivo envolvente.

As lesões às miofáscias são comuns e podem ocorrer pelos mais diversos fatores, tais como: movimentos repetitivos, má postura, desequilíbrios musculares, traumatismos, leões musculares por contratura ou estiramento, rupturas, reações emocionais e estresse. Nesse caso, o tecido conjuntivo perde as propriedades de expansibilidade, se retraindo, gerando o quadro identificado por dor miofascial, que pode ser local ou irradiada a partir do ponto de lesão.

É conhecida no meio clínico como síndrome miofascial, o conjunto de sintomas consequentes a lesão miofascial. Esse quadro requer tratamento específico, uma vez que o grupo muscular cuja fáscia encontra-se comprometida terá sua função comprometida, pois não haverá amplitude de movimento ou forção total para a realização da função.

O alongamento convencional, muscular, como o realizado na prática do método Pilates, não é suficiente para que haja o reparo da fáscia, já que por si só a lesão já limita a capacidade de se alongar do músculo, além de que, o alongamento não repara o tecido conjuntivo.

Agende uma aula experimental pelo what's up 981818384

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

PILATES E DOR CRÔNICA



A dor foi o motivo mais importante e decisivo para o desenvolvimento da arte de curar e com certeza influenciou Joseph Pilates no desenvolvimento da Contrologia.

Atualmente, no Brasil, estima-se que 60 milhões de brasileiros têm algum tipo de dor crônica. Entre os homens, 20% têm o problema. Entre as mulheres, 34%.

Entre as principais causas estão:

- dores da coluna vertebral 41,2%;

- dores de cabeça e enxaqueca 31,2%;

- ansiedade e distúrbios emocionais 24,9%;

- depressão 19,2%;

- artrite 12,6%;

- reumatismo 10,6%;

- fibromialgia 7,3%.

É certo que o instrutor de Pilates deve compreender o fenômeno da dor crônica para escolher os próximos exercícios com critério e bom senso.

Uma em cada cinco pessoas sofre de dor crônica segundo a Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP).

O instrutor de Pilates enfrenta diariamente alunos com dor e necessita avaliar com bom senso e conhecimento, o que de fato representa a dor a que seu aluno se refere.

Pilates não funciona como pronto socorro para o tratamento de dor aguda… Assim, casos agudos, devem ser encaminhados para o diagnóstico preciso e tratamento médico adequado.

Já alunos com dor crônica podem se beneficiar de um seleção adequada de exercícios de Pilates. Mas qual a definição de dor crônica?

- A Dor crônica é episódica ou persistente com duração e intensidade capaz de afetar adversamente a função ou o bem estar;

- A Dor crônica é um fenômeno com múltiplos componentes capaz de provocar um impacto em determinada pessoa do ponto de vista físico, funcional e psicológico;

- A dor crônica provoca interferência nas atividades da vida diária, levando a pessoa a ter comportamento mais irritável e diminuição do limiar de tolerância emocional.

O sistema nervoso desenvolve uma realimentação e a dor crônica se torna uma doença em si mesmo. Isto acontece em cerca de 10% das condições tumorais, inflamatórias, infecciosas e pós-operatórias onde a dor persiste por meses ou anos.

Fique atento ao diagnóstico médico de seu aluno e sempre associe a seleção e execução do próximo exercício a uma avaliação funcional criteriosa nos casos com dor crônica e recorrente!

Agende uma aula experimental pelo what's up 981818384

www.fisiobeautypilates.com.br

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

PILATES NA LESÃO LABRAL



Atualmente, as dores no quadril são uma das maiores queixas dos praticantes do método Pilates. Hoje descreveremos uma das patologias do quadril, a lesão de labrum.

O labrumacetabular é uma estrutura fibrocartilaginosa que reveste o acetábulo, parte interna do quadril onde o fêmur se encaixa. As funções do labrum são: aumentar a área de contato, aumentar a congruência articular e auxiliar na dissipação de forças em atividade de impacto.

Os mecanismos de lesão do labrum costumam ocorrer com extensão e rotação externa excessiva no esporte, como futebol, artes marciais e balé; o valgo dinâmico – flexão com rotação interna e adução e/ou insuficiência do músculo iliopsoas.

Com a lesão labral, ocorre um maior desgaste articular (artrose) e instabilidade no quadril, pois a distribuição das forças ocorre de maneira desigual como na figura abaixo.



Como é de ciência, a prática do método Pilates possui vários benefícios, no entanto, deve ser observado o uso irrestrito e sem cautela em patologias como esta, pois, existem cuidados a serem respeitados.

Portanto, alguns movimentos do método Pilates tradicional devem ser evitados no caso da lesão labral, como: rotação externa com abdução e flexão do quadril; adução com rotação interna de quadril e movimentos em cadeia cinética aberta e em grandes amplitudes. Exemplo: plié, frog, legcircle, rocking, leglowers, sidestepdown, sidepump, entre outros.

Segue abaixo sugestões do plano de tratamento utilizando o método Pilates:

- Músculos que precisam ser fortalecidos: quadrado lombar, transverso do abdome, multífidos lombares, oblíquo interno e externo, rotadores externos e abdutores do quadril;

- Cuidar com exercícios livres para iliopsoas e glúteo máximo;

- Utilizar técnicas ou recursos terapêuticos associados ao Método Pilates como: Terapia Manual, Bandagens, Eletroterapia, entre outros;

- Terapia Manual para liberação de iliopsoas e ganho de amplitude com o uso do cinto de Mulligan;

- Estimulação de glúteo máximo com resistência da faixa elástica liberando iliopsoas;

- Fortalecimento do CORE, mantendo a coluna neutra e o iliopsoas liberado;

- Fortalecimento do CORE em isometria;

- Ostra – Pilates Clínico para fortalecer glúteo médio.

Fonte: Revista Pilates

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

PILATES PARA LESÕES NA COLUNA E ALTERAÇÕES POSTURAIS


Em alguma fase da vida, 70 a 85% de todas as pessoas sofrerão lesões na coluna sejam essas dores passageiras ou problemas mais graves como escoliose.

Quando essas lesões na coluna são consideradas como dores crônicas, as mesmas devem ser tratadas como um problema de saúde pública.

Uma das causas de lesões na coluna vertebral são os problemas posturais que podem gerar desde desconfortos relativamente leves, até lesões mais graves, como as doenças osteoarticulares.

Sendo assim, preparei este texto para que você possa entender um pouco mais sobre essas lesões na coluna e como o Pilates pode ajudar a melhorar esses problemas.

Conhecendo Alguns Tipos de Lesões na Coluna

A boa postura é aquela que é visualmente aceitável e também quando há um equilíbrio e um bom funcionamento entre as estruturas e os órgãos.

Porém quando esse equilíbrio não ocorre de forma correta, nossa coluna pode sofrer diversas lesões sejam elas passageiras ou crônicas podendo acarretar dores e incômodo.

Para trabalhar na prevenção desses problemas posturais é necessário respeitar as características biomecânicas de cada indivíduo, utilizar mobiliários e ferramentas adequadas, ter pausas durante o trabalho e considerar que a postura é uma estrutura complexa que vai variar de pessoa para pessoa.

Mas quando essa prevenção não ocorre, a pessoa pode lesionar sua coluna vertebral, deixando seu corpo mais frágil e automaticamente, o seu dia-a-dia  afetado por conta da falta de mobilidade.

Sendo assim, separei algumas lesões que podem acometer a coluna do ser humano:

Escoliose

A escoliose é uma das lesões na coluna que se apresenta como um desvio lateral em C ou em S, criando então uma deformidade na área.

De acordo com sua etiologia, a escoliose pode ser classificada em estrutural e não estrutural.

A escoliose estrutural pode ser idiopática (sem causa aparente), neuromuscular e osteopática.

Já a não-estrutural, pode ser causada pela assimetria de membros inferiores, espasmo ou dor muscular da coluna vertebral por compressão de raiz nervosa ou outra lesão na coluna e, ainda, pelos maus hábitos posturais.

É necessário exercitar-se quando se sofre de lesão na coluna crônica, pois o exercício pode diminuir problemas como músculos encurtados, perda de mobilidade articular e fraqueza, que contribuem para a dor, além de prevenir também as complicações musculoesqueléticas secundárias da dor, como a fraqueza.

Utilizando o Método Pilates para o Tratamento da Escoliose

O Método Pilates consiste na realização de exercícios físicos, que utilizam a gravidade e recursos mecanoterapêuticos como as molas, que atuam como resistência durante a execução do movimento, além de atuar também no auxílio do próprio movimento.

Esse Método caracteriza-se por movimentos projetados de forma que os executantes mantenham a posição neutra da coluna vertebral, minimizando o recrutamento muscular desnecessário, prevenindo a fadiga precoce e a diminuição da estabilidade corporal.

O treinamento com o Método visa melhorar a flexibilidade geral do corpo, a força muscular, a postura e a coordenação da respiração com o movimento, sendo, portanto, esses fatores essenciais no processo de reabilitação postural.

Os exercícios envolvem contrações concêntricas e excêntricas e, principalmente, isométricas, com ênfase no que Joseph Pilates, o criador do método, denominou Power House (ou centro de força).

Esse centro de força é composto pelos músculos abdominais, glúteos e paravertebrais lombares, que têm a função de estabilizar estática e dinamicamente o corpo.

A literatura aponta que o método Pilates tem alguns benefícios que ajudam a prevenir lesões e proporcionar um alívio de dores crônicas.

Dentre esses benefícios podemos citar:

  • Estimular a circulação,
  • Melhorar o condicionamento físico,
  • Melhorar a flexibilidade,
  • Melhorar a amplitude muscular,
  • Melhorar o alinhamento postural,
  • Melhorar os níveis de consciência corporal e a coordenação motora
  • Lombalgia


A dor lombar é uma das disfunções musculoesqueléticas mais comuns da atualidade, classificada como uma causa frequente de incapacidade funcional e consequentemente afetando a qualidade de vida do indivíduo.

Muitas são as queixas de dor na região lombar da coluna vertebral, respondendo atualmente, pela principal causa de afastamento no trabalho.

As lombalgias (dor lombar) e as lombociatalgias (dor lombar acompanhada por irradiação pelo trajeto do nervo ciático), não são doenças e sim síndromes ou sintomas com mais de 50 possíveis causas diferentes.

Cada disco intervertebral está sujeito a variações mecânicas e a sobrecargas constantes, em especial durante longos períodos em que o corpo permanece na mesma postura.

A musculatura do tronco é responsável pela estabilidade dinâmica e controle da coluna. Aliado a isto, está a musculatura abdominal, que embora não esteja ligada anatomicamente a coluna, trabalha interligada para que a postura ereta seja mantida pelo corpo humano.

Utilizando o Método Pilates no Tratamento da Lombalgia

Pesquisas mostram evidências convincentes de que a realização de exercícios de alongamento e fortalecimento da musculatura do tronco restaura a função da coluna lombar.

O Método Pilates mostrou-se eficiente para a diminuição da dor lombar ou ciática e pode ser utilizado como estratégia para prevenir ou reabilitar as disfunções da coluna vertebral, especialmente da região lombar.

Além disso, o Pilates, surge como uma forma de condicionamento físico interessado em proporcionar bem-estar geral ao indivíduo e capaz de proporcionar força, flexibilidade, boa postura e melhorar a consciência corporal, tratando ou prevenindo as lesões na coluna vertebral.

Hiperlordose lombar e Hipercifose

O aumento da concavidade posterior das curvas lombar e cervical é conhecido como hiperlordose, ao passo que o aumento da concavidade anterior da curva torácica normal é conhecida como hipercifose.

Esses dois casos são responsáveis por criarem desalinhamento na coluna vertebral causado dores e desconfortos.

Existem diversas causas para o surgimento da hiperlordose e hipercifose sendo algumas delas:

  • Má postura
  • Obesidade
  • Gravidez
  • Deformidades genéticas
  • Movimentos repetitivos
  • Lesões
  • Hérnia de disco (pela postura adotada para diminuir a dor)
  • Fraqueza e encurtamento de grupos musculares
  • Espondilolistese (escorregamento das vértebras)
  • Fadiga
  • Utilizando o Método Pilates no Tratamento da Hiperlordose Lombar e Hipercifose


Na história do Pilates, relata-se que os primeiros praticantes da técnica foram quase exclusivamente dançarinos e atletas.

Por isso, nos últimos anos, o Pilates, tornou-se um método popular na reabilitação e no fitness. A principal finalidade do Pilates é restabelecer o funcionamento ideal do corpo. E assim, pode ser realizado como um exercício de condicionamento e como parte de um programa fisioterápico de reabilitação.

Pilates é um método eficiente para fortalecer a musculatura extensora do tronco, agindo no desequilíbrio entre a função dos músculos envolvidos na extensão e flexão de tronco, que é um forte indicativo para desenvolvimento de distúrbios da coluna lombar.

Em estudos recentes observaram que um programa de exercícios, bem elaborado, para pacientes com problemas em discos intervertebrais pode diminuir a protusão  no disco, enquanto restaura a flexibilidade, força, endurance, estabilidade e postura, com resultados superiores ao tratamento medicamentoso e com menor recorrência da dor lombar seja por desvio postural ou alguma outra lesão na região.

Conclusão

A postura corporal está diretamente ligada à personalidade, ao meio em que se vive, à atitude em relação às situações da vida, ao tipo de trabalho, ao meio social e também às forças muscular e gravitacional.

Em todos os exercícios de Pilates, os grupos musculares são executados simultaneamente. O trabalho de resistência mantém os espaços articulares livres, o que diminui o estresse nas articulações, resultando o aumento da mobilidade destes seguimentos, conforto e bem-estar.

Os exercícios do Pilates, buscam melhorar a flexibilidade geral do corpo e busca a saúde através do fortalecimento do “centro de força”, melhorando a postura e coordenação da respiração com os movimentos realizados. Com isso, visa o movimento consciente sem fadiga e dor.

Sendo assim, o Método Pilates além de corrigir desvios posturais, traz todos benefícios para manter a coluna vertebral forte e flexível, diminuindo a dor articular e muscular causada por qualquer tipo de lesão.

Mas lembra-se: é necessário que suas aulas sejam assistidas por um profissional capacitado e que esse leve sempre em consideração as contraindicações que o médico definir, dessa maneira, o profissional se torna livre para montar o treino de Pilates de acordo com o que cada praticante precise.

REEDUCAÇÃO POSTURAL GLOBAL (RPG) E SEUS BENEFÍCIOS



No inicio da década de 50, a terapeuta corporal Françoise Mézières elaborou, através de observação cuidadosa, uma proposta de atuação que revolucionava a forma de trabalhar o corpo.

Mézières já afirmava que a questão não está na “fraqueza” da musculatura posterior, mais no excesso de força, sugerindo então que a solução seria “soltar os músculos posteriores para que eles libertem as vértebras mantidas num arco côncavo”. Mézières ia mais longe em suas considerações teóricas, afirmando que “não é somente o esforço para ficar em equilíbrio que encurta os músculos posteriores mas, também todos os movimentos de média e grande amplitude executados pelos braços e pernas, solidários com a coluna vertebral.

Philippe-Emanuel Souchard ensinou o método Mézierès durante dez anos no centro Mézières, no sul da França. Fundamentou esta forma de trabalho em seu profundo conhecimento de anatomia, biomecânica, Cinesiologia, osteopatia, campos que lhe permitiram embasar a técnica hoje conhecida como Reeducação Postural Global (RPG).

A RPG consiste em ajustamentos na postura para reorganização dos segmentos do corpo humano, permitindo a reorganização e o reequilíbrio dos músculos que firmam a postura. Identifica e alonga os músculos considerados responsáveis pela alteração postural.

O tratamento com a RPG é totalmente personalizado, ou seja, cada paciente recebe um atendimento individual, de acordo com as suas necessidades. Normalmente, as consultas duram em torno de uma hora e a quantidade de vezes por semana vai depender de cada caso.

A duração do tratamento também varia bastante, mas durante a primeira consulta é possível ter alguma previsão do tempo necessário através da avaliação aplicada pelo fisioterapeuta acompanhante.

Problemas respiratórios, morfológicos, articulares, esportivos, traumáticos eurológicos podem ser tratados com a RPG, em fases agudas, com ou sem a manifestação de sintomas.

Principais doenças que podem ser tratadas com a RPG:

dores lombares, cervicais e dorsais; dores nos pés e nas mãos, lesões por esforço repetitivo (LER); hérnias de disco; asma e bronquite; estresse; distúrbios digestivos e circulares; artrite, artrose, bursite e tendinite; estrabismo; incontinência urinária.

Mais que tratar a doença, a RPG trata o individuo, evitando retorno do problema após o tratamento. Não existe restrição de idade para a sua aplicação, mas o tratamento só pode ser acompanhado por um fisioterapeuta com formação em RPG.

Benefícios da RPG: Correção dos vícios de posturas inadequadas; melhora o aspecto estético e preventivo da má postura; alívio de dores na coluna; correção dos desvios posturais; atua na prevenção e tratamento de hérnia de disco; melhora da conscientização corporal; fortalece e alonga os músculos melhorando a respiração e a postura.

Agende uma sessão pelo what's up 981818384

sábado, 28 de outubro de 2017

GLÚTEOS POUCO DESENVOLVIDOS OU ATROFIADOS



O termo amnésia glútea (gluteal amnesia) descreve a situação dos glúteos pouco desenvolvidos e atrofiados. Isto tem acontecido com frequência por conta das pessoas que passam a maior parte do tempo sentadas, tendência muito comum nas atividades de trabalho da atualidade.

Para entender o porquê desta amnésia, é importante compreender este grupamento muscular e a sua ação. Os glúteos são compostos pelo glúteo máximo, médio e mínimo. O glúteo máximo é o maior e mais importante extensor e rotador externo do quadril. Em geral está ativo quando o quadril está em posição de flexão para realizar a extensão, como o ato de subir escada, andar de bicicleta e quando houver uma extensão de quadril resistida.

O glúteo médio é o principal abdutor e estabilizador primário do quadril e da pelve. Devido a sua forma e função, é conhecido como deltoide do quadril. O músculo pode ser dividido em duas partes funcionais: uma porção anterior (flexiona, abduz e roda internamente o quadril) e outra posterior (estende e roda externamente). Além disso, fornece suporte pélvico durante a postura em uma perna e age como desacelerador da adução do quadril. O glúteo mínimo é um músculo bastante fino e é o maior rotador interno do fêmur. Auxilia o glúteo médio no suporte pélvico.

Resumindo, o grupo dos glúteos são extremamente funcionais, são os propulsores da marcha (andar), quem nos ajuda a sentar, levantar, subir e descer escadas, entre outras atividades funcionais, além das atividades esportivas como correr, saltar, etc.  Para que estejam em perfeita harmonia, devem realizar a sua função. Mas de que forma estamos utilizando a musculatura glútea? Utilizando escada rolante, pegando o elevador, passando o dia inteiro sentado no trabalho, realizando pouca atividade física? E por falar em atividade física, atenção para os homens que se esquecem de malhar esta região, por achar desnecessário, como se os glúteos fossem apenas uma peça decorativa da estética feminina.

Porque passar tanto tempo sentado compromete a região glútea?

Passar muito tempo sentado torna os músculos flexores do quadril muito solicitados e pela inibição recíproca inibe os glúteos, há a compressão deste tecido o que diminui o aporte sanguíneo para esta região.

Porque a amnésia glútea é preocupante?

Porque se um músculo tão importante para a nossa função não está em sincronia com os demais grupos musculares, significa que haverá uma sobrecarga na região do quadril, coluna ou joelho, que pode levar a dor e a uma modificação postural importante. A amnésia glútea afeta a estabilidade do núcleo (coluna vertebral) e a estabilidade é essencial para um corpo saudável.

Alguns movimentos e posturas podem indicar se a utilização do glúteo está correta, como ao sentar ou agachar, o corpo não deve se inclinar muito para a frente, pois quanto mais inclinado o tronco, menor a ação do glúteo. A postura da pelve muito anteriorizada e uma maior solicitação dos quadríceps e pontos de apoio dos pés nos metatarsos maior que nos calcâneos, podem também indicar uma condição de glúteos fracos. Uma boa avaliação postural dá indícios se o glúteo está em boa ativação e é também necessário agregar a avaliação funcional para certificar-se a possibilidade da amnesia glútea.

E para finalizar, atividades funcionais como o Pilates, tem muitas possibilidades de exercícios para trabalhar a região glútea gerando força, reconstituindo a estabilização do quadril e coluna de uma forma muito inteligente, funcional e saudável.

Ensinar o paciente a forma correta de malhar o glúteo é de extrema importância para evitar lesões corriqueiras da lombar. Lembrando que não somente a amnésia glútea provoca dor lombar, mas também o fortalecimento de glúteo exagerado e com carga inadequada gera dor neste segmento.

Um programa de exercício corretivo para a amnésia glútea consiste em:

- Inibir os músculos tensos, por meio de alongamentos, liberação miofascial, crochetagem;

- Ativar músculos fracos ou inibidos com exercícios de conscientização da ativação muscular e fortalecimento muscular;

- Movimentos funcionais integrados à função do paciente.

*inibição recíproca: quando um grupo muscular está excitado o seu antagonista (grupo muscular oposto) é inibido.

Fonte: Revista Pilates

Agende uma aula experimental pelo what's up 981818384

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

FASCITE PLANTAR E PILATES



Uma das principais causas de dor em corredores é a fascite plantar, que se caracteriza por dor na região medial da planta do pé e no calcâneo. Esta dor é pior no início do dia (devido ao encurtamento da fáscia durante a noite), ou após longos períodos de caminhada ou corrida. A fascite, apesar de comum em corredores, pode se manifestar em qualquer um, sendo mais corriqueiro em mulheres a partir dos 40 anos.

Ocorre um processo inflamatório na fáscia plantar (tecido conectivo espesso que ajuda a formar o arco longitudinal medial do pé), devido à sobrecarga contínua sobre ela, deixando-a tensionada. Esta sobrecarga é multifatorial e pode estar relacionada a aumento de peso, uso de salto alto, fraqueza da musculatura intrínseca do pé e a pés planos, cavos ou pronados.

Para que o pé receba e absorva bem o impacto durante a caminhada ou corrida, a musculatura do pé deve estar ativada e ser capaz de manter o arco longitudinal medial. Pessoas que tem este arco “desabado” ou que pisam diretamente com a parte de dentro do pé (pisada pronada) têm dificuldade em distribuir e absorver o impacto, e a fáscia é estirada.

Atualmente, muitas lojas de calçados esportivos realizam uma avaliação do tipo de pisada, e então oferecem o tênis mais adequado ao seu pé. Já vi muitas destas avaliações, e posso dizer que a maioria é inadequada. Mesmo considerando que a avaliação seja correta, utilizar um tênis com maior amortecimento em determinada área do pé, com uma palmilha que aumente o arco em determinada região, pode sim diminuir a dor durante acorrida, e seu uso é recomendado para um atleta que queira uma analgesia imediata para disputar uma maratona, por exemplo.

Entretanto, esta medida é unicamente paliativa, não tratando efetivamente a causa do problema. Um tratamento ideal de fascite deve incluir liberação miofascial da fáscia plantar, além da análise adequada da marcha e corrida e correção do padrão da pisada, fortalecimento da musculatura intrínseca do pé; pois somente assim o corredor terá uma boa absorção do impacto e poderá correr sem dor independente do calçado que use.

Tanto o fortalecimento como a correção da pisada podem ser realizados com o Pilates. Uma boa forma de trabalhar estes fatores é utilizando superfícies instáveis, como o bosu e o disco proprioceptivo, e realizando exercícios de apoio unipodálico, durante os quais o instrutor deve corrigir o posicionamento de todo o membro inferior.

Existe também o tratamento cirúrgico, no qual são realizados pequenos cortes na fáscia plantar (fasciotomia), diminuindo a tensão na mesma; porém este tratamento deve ser utilizado em última instância, já que é muito agressivo e o tratamento fisioterapêutico costuma ter ótimos resultados.

Agende uma aula experimental pelo what's up 981818384

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

TENDINOPATIA DO TENDÃO DE AQUILES



O tendão calcâneo (também conhecido como tendão de Aquiles), é o maior e mais forte tendão do corpo humano. Ao mesmo tempo, ele é o mais acometido em pessoas que praticam atividades de alta sobrecarga na região da panturrilha, como a corrida, a dança; ou esportes que envolvam saltos, como vôlei e basquete.

É uma lesão por overuse, ou seja, ocorre principalmente quando há um excesso de treinamento, seja pela alta intensidade ou volume de treino, ou por falta do tempo de descanso entre um treino e outro.

Quando sobrecarregamos uma estrutura como o tendão, ocorrem microlesões locais, que são regeneradas após a atividade física. Entretanto, se o tempo de descanso for inadequado e voltarmos a sobrecarregar este tendão antes da sua regeneração, os micro traumas não cicatrizam e vão se somando, comprometendo a estrutura tendínea.

A degeneração crônica pode ocorrer, levando à tendinopatia, e a partir deste momento, sintomas como dor, rigidez e inchaço são comuns. O tendão mal cicatrizado e mais fraco também fica mais susceptível a rupturas.

Alguns outros fatores que predispõe à tendinopatia de Aquiles são erro na técnica esportiva (pisada errada), pronação excessiva do pé, baixa flexibilidade dos músculos tríceps sural e isquiotibiais, fraqueza do glúteo médio e pouca mobilidade do tornozelo.

O Pilates é uma ótima alternativa para prevenir a instalação ou avanço dessa patologia, utilizando exercícios como alongamentos de cadeia muscular posterior, fortalecimento da musculatura de quadril, amplitude de movimento do tornozelo e estimulação do arco plantar medial.

Fonte: Revista Pilates

Agende uma aula experimental pelo what's up 981818384

www.fisiobeautypilates.com.br

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

MASSAGEM TERAPÊUTICA E OS SEUS BENEFÍCIOS



“A Massagem terapêutica tem sido estudada cientificamente por muitos anos. Tem apresentado muitos efeitos positivos em uma variedade de condições de saúde. Teve suas raízes com Pehr Henrique Ling em 1813, ganhou força e maior arsenal terapêutico com o Dr. Mezger da Holanda. A partir da massagem terapêutica, diversos profissionais e o próprio público em geral, passou a mudar o olhar com relação a profissão. Em 1916, com as pesquisas sobre efeitos fisiológicos o Dr. Mennell, reconhece os benefícios e efeitos já ditos por Ling 100 anos antes.

Tais efeitos eram: mecânicos, fisiológicos e Reflexos. Em 1950, Gertrud Beard propõe seu próprio método de massagem Terapêutica, fugindo das propostas de Ling, Mezger e Mennell, entretanto, a massagem dita terapêutica, possuía um arsenal próprio, com princípios e praticas especificas. Muito utilizado por médicos e práticos esse sistema ficou com os massoterapeutas.

Há muitos aspectos positivos da massagem. Um dos mais importantes benefícios da massagem é um aumento da circulação, que podem acelerar a cura e melhorar a recuperação, que foi preconizado por Ling em 1813. Outro aspecto é o conhecimento da natureza dos tecidos, campo especifico da massoterapia, onde a massagem terapêutica ganha respaldo.
Preconizado por Boris Chaitow, Stanley Lief e Cyriax.

Hoje em dia, pesquisas científicas mostram claramente muitos benefícios da massagem na nossa saúde e bem-estar, dentre elas:

Benefícios da Massagem

• Alivia o stress e promove uma sensação geral de relaxamento, ajudando você a respirar e se mover mais facilmente
• Alivia a dor e a tensão, e ajuda a gerenciar melhor a dor
• Reduz a inflamação
• Promove a rápida recuperação de lesões (trabalho, trauma, acidente ou desportivas)
• Aumenta a mobilidade e permite uma maior flexibilidade articular e amplitude de movimento
• Melhora a circulação
• Melhora e fortalece o sistema imunológico
• Alivia problemas oste-omusculares e melhora a postura
• alivia os desconfortos da gravidez
• Reduz a ansiedade e promove uma sensação geral de bem-estar
• Aumenta a consciência corporal

Massagem terapêutica e Condições de Saúde

Além de ser muito eficaz no alívio do stress, há muito a pesquisa científica que mostra como a massagem pode ajudar com uma variedade de condições de saúde, incluindo:

• Ansiedade e depressão
• Artrite
• Dor nas Costas
• Síndrome do túnel cárpico
• A dor crónica e aguda
• problemas circulatórios
• Depressão
• desordens digestivas
• Fibromialgia
• Doenças músculo-esqueléticas
• Dor
• Distúrbios do Sono
• Lesões desportivas
• Stress
• Tendinite

Segundo Tifany Field do Instituto do Toque em Miami, a massagem terapêutica possui escopo de estudo especifico e requer dedicação por parte do terapeuta. Nela são encontradas as seguintes técnicas: DLM, massagem sueca modificada, técnicas de fricções diversas, manobras de compressão, cinesiologia e etc.
Os terapeutas de massagem irão usar uma variedade de técnicas para promover a cura e relaxamento, bem como promover uma maior flexibilidade e amplitude de movimento. Quando um grupo específico do músculo está lesionado ou contraturados, outros músculos ao redor da área afretada também ficam atingindos em resposta a ferimentos ou contracções.

É necessário também estudo sobre miologia, que é fundamental para formação do profissional. Segundo L.Chaitow a massagem terapêutica foi o sistema que mais elevou a profissão em todo o mundo, mas requer treinamento nos fundamentos suecos e da anatomia e fisiologia sem deixar o estudo de patologias. Não podemos aceitar a massoterapia sem escopo de estudo com carga horária de anatomia e fisiologia, sem levar em consideração matérias como biossegurança, orientação em saúde, citologia e histologia…
Massagem terapêutica é área de saúde e, portanto, com formação técnica.”

FONTE: Sentir Bem Estar

Na Fisiobeauty a massagem terapêutica é executada por fisioterapeuta, com aplicação prévia de quiropraxia e manobras de liberação miofascial, agende sua sessão pelo what's up 981818384 e aproveite!!